FIFA pode “discutir” Catar/2022

 

 

O xeque Hamad bin Khalifa Al-Thani, Emir do Qatar, com uma réplica

 

É nítida a intenção dos Estados Unidos em “mostrar ao mundo” que os votos que elegeram o Catar como sede do Mundial/2022 foram comprados.

As autoridades americanas dizem que já tem uma farta documentação que comprova que os cartolas/eleitores receberam milhões de dólares para optar pela candidatura do país árabe.

Mas, os agentes dos EUA querem mais: desejam que todos os réus digam claramente em confissões que se venderam para rejeitar a candidatura americana. Em troca , as penas de prisão  seriam mais leves.

Entretanto, a decisão de “tirar o maior volume de dinheiro possível dos réus com multas pesadíssimas”  continua sem alteração.

Diante de todas as provas os americanos pretendem se reunir com seus parceiros de países mais importantes para, juntos, “forçarem” a FIFA a rever o local da sede da Copa/2022.

E fontes da  justiça americana garantem que o presidente da FIFA, Gianni Infantino, já estaria admitindo discutir o assunto “ se as provas forem irrefutáveis” .

POR AQUI…

Os cartolas brasileiros que estão aqui sabem do monitoramento feito pela PF em colaboração com o FBI e Interpol. E nítida a preocupação que esses dirigentes tem em não aparecer em exposição pública ou arriscar viagens internacionais. As provas contra esse grupo “aumentam diariamente” afirma um agente americano.

 

Comentários

comments