SEM BONS JOGADORES, ATÉ GUARDIOLA CAI…

A tática no futebol está em alta.
Sempre foi importante, claro.
Mas, atualmente ela ganhou mais “estrelas” sobre os seus ombros.
Aquele ” jogo de números ” que existia há alguns anos , hoje é fartamente colocado sobre a mesa de discussões.
E há amantes para todos os “sistemas”.
O que defende primeiro, o que só pensa em atacar, o que tenta mesclar as maneiras de jogar, aquele que chega com vários jogadores na área adversária, tem o outro que tem a ponta da lança eficiente…enfim, não faltam “sistemas” e nem apreciadores.
Mas ainda não ficou nítido para muitos observadores de que existem várias maneiras de ganhar um jogo de futebol.
Não existe um único genial sistema de jogo.
Você , certamente, gosta de uma maneira de ver um time jogar.
Qualquer tipo de fórmula pode levar a uma vitória.
Depende, óbvio , dos executores. Depende da eficiência dos jogadores.
Até mesmo se o treinador montar um esquema incompreensível para todos ( e isso existe) o time dele pode ganhar se contar com “excelente mão de obra especializada” .
Conheço vários pedreiros que corrigiram equivocos de projetos.
Tenho certeza que você já encontrou farmaceuticos que sugeriram remédios que funcionaram melhor do que aqueles indicados por alguns médicos.
Já soube de casos de assistentes de escritórios de advocacia que ajudaram muitos advogados a não cometer lambanças.
E essas correções existem em todas as áreas. A boa “mão de obra” ajuda muito.
Quando existe eficiência entre quem “monta o esquema” e o grupo que vai realiza-lo a chance de um final feliz aumenta muito.
De Guardiola ao treinador da 4a. divisão do futebol do Gabão, todos precisam de bons “executores”para o serviço.
Resumindo, não é fácil para os mais gabaritados analistas contestar a frase de Otto Gloria, dita décadas atras:
“Quando o time ganha, o técnico é bestial. Quando o time perde, o técnico é uma besta.
Não posso fazer uma omelete sem ovos ” .
Sempre teve razão.

Comentários

comments