Morumbi duas vezes e o “inaceitável”

Reconheço que é bem difícll para quem analisa vendo apenas cores de equipes , aceitar dois jogos no estádio de um dos envolvidos.
Principalmente quando o estádio é do “grande”.
Entendo , também, que nessas ocasiões quem não “torce” para o dono do estádio, suspeita de arranjo, picaretagem, venda de mando e muitas outras teses levantadas.
Nesse caso considerar “inaceitável” sem conhecer o outro lado é precipitado.
Mas, sugiro que deixe de lado pensamentos do tempo da “bola do capotão”.
É fundamental o esforço para reconhecer que os dias de hoje exigem decisões diferentes e realistas. É essencial saber os argumentos atuais do presidente do Linense, José Hugo Gentil Moreira:
–” A gente se comprometeu a não levar jogos dos grandes para Lins, porque nosso estádio não tem condição. Então tínhamos duas possibilidades: levar para outra cidade do interior, onde não teríamos ganho esportivo e nem financeiro, ou trazer para a capital. Não temos calendário no segundo semestre, só a Copa Paulista, que é deficitária – disse.
Questionado pelo GloboEsporte.com sobre uma eventual reação da torcida em Lins, o cartola respondeu:
– Vai ter gente reclamando sempre. Estamos tranquilos, porque é algo que já havíamos deixado claro. Levamos o jogo contra o Palmeiras para Araraquara, e a torcida não gostou. Então é mais fácil para a torcida vir até São Paulo do que ir para outra cidade.”
Quero acrescentar mais alguns detalhes que me levaram a entender perfeitamente a sugestão atendida de trazer os dois jogos para o Morumbi.
-Estádio sem condições de receber jogos contra equipes consideradas “grandes”.
-Em qualquer outra cidade do interior a maior torcida seria do São Paulo
-Durante todo o campeonato a ocupação média do estádio em Lins foi de 20%
-A média de público em Lins foi de pouco mais de 3 mil torcedores
-O Linense só ganhou em “casa” do Audax , Novorizontino e São Bernardo
-Vai fazer dois jogos no Morumbi com renda dividida e o São Paulo tem hoje média de público em torno de 33 mil torcedores e ocupação do estádio perto de 48%
– A exposição do Linense será muito maior

Quando estava quase encerrando este texto, recebi uma mensagem do presidente do Linense :
“Bom dia Wanderley
Antes de mais nada é um prazer Sou e sempre fui um admirador do seu trabalho.
Nossa primeira opção sempre foi podermos mandar o jogo em Lins. E tentamos fazer isso se possível , porém sem sucesso devido condições do Estádio.
Não podendo fazer em Lins , nossa opinião foi a de que a segunda opção mais inteligente , seria em SP.
Claro q a perspectiva de faturamento foi importante em nossa decisão , porem pensamos sim em outro fator
Fizemos jogos com times grandes no interior e percebemos q a torcida do time grande q vai a esse jogo , vai para fazer festa e faz o tempo todo , independente da situação do jogo.
Portanto , nao podendo contar com o fator positivo de jogarmos em nosso Estádio , decidimos apostar na possibilidade de dificultar o jogo no Morumbi e criar um clima mais hostil da torcida.
É uma possibilidade….
Reitero q a decisão foi muito debatida internamente e tomada em comum acordo com toda diretoria e comissão técnica inclusive
Com isso não estamos diminuindo a importância do aspecto financeiro na tomada de decisão
Somos responsáveis pelo clube e pelos seus diversos colaboradores que tem um segundo semestre sem calendário nacional , sem cotas e praticamente sem patrocínio.
Obrigado e qq coisa q precise , estamos à disposição.
Abraço”
Reafirmo que entendo a decisão do Linense.
Baseado num olhar do mundo real.
O mundo ideal seria que todos os clubes do interior tivessem estádios modernos e em ordem e que as cidades lotassem as praças esportivas nos jogos contra grandes e pequenos.
O sonho dourado seria que os clubes tivessem um bom fôlego financeiro.
Mas, sabemos, todos estão muito longe disso…

Comentários

comments