O que são anabolizantes?

Eles “são drogas que são uma bomba”. Os anabolizantes são coquetéis de hormônios sintéticos, podendo ser utilizados sob a forma de injeção, comprimidos e gel.

O uso de anabolizantes por atletas é feito em busca de um aumento na capacidade de recuperação do treino exaustivo e, consequentemente, de um aumento da massa muscular. Em muitas situações, principiantes solicitam conselhos de atletas ou treinadores despreparados, que prescrevem treinamentos, alimentação, suplementação e uso de drogas, assumindo o papel de consultores profissionais. Esta prática é ilegal e prejudicial à saúde dos praticantes de atividades físicas.

Todos os usuários de anabolizantes são considerados grupos de risco para o desenvolvimento de doenças, que podem ocorrer ou não, dependendo da dose, do tempo de utilização da droga e de fatores genéticos.

Os anabolizantes possuem efeitos colaterais cruciais, dentre eles: infarto, esterilidade (atrofia de testículos), surtos psicóticos, gangrenas, insuficiência de órgãos, depressão, interrupção do crescimento em adolescentes, alteração do ciclo menstrual, aumento de pelos em mulheres e aumento de mamas em homens.

Entretanto, muitos “aspirantes a Arnold Schwarzenegger” preferem o atalho dessa droga para conquistar rapidamente um corpo bem definido. O uso dessas substâncias é proibido pela legislação brasileira, porém estima-se que 10% a 20% dos alunos de academia sejam usuários de anabolizantes.

A atração exercida pelos anabolizantes está em seus efeitos mágicos: aumentar a massa muscular rapidamente, tanto para quem tem ou não predisposição genética, e melhorar o rendimento nos esportes, pois aumenta o fluxo de sangue nos músculos.

Cabe alertar os iniciantes em musculação, que grandes volumes musculares só acontecem em indivíduos que possuem predisposição genética. Porém, com treinamento, alimentação e eventual suplementação, se necessária, as fibras musculares aumentam seu tamanho, dentro de um limite natural.

Os principais riscos do uso de anabolizantes nos homens são:

– Câncer de fígado, de próstata, de mama e de rim;

– Hipertensão;

– Queda dos níveis do colesterol bom (o HDL);

– Problemas cardiovasculares;

– Queda de cabelos, diminuição da libido, esterilidade, atrofia de testículo e acne.

Já, nas mulheres os perigos são:

– Câncer de fígado e de rim;

– Queda dos níveis do colesterol bom (o HDL);

– Problemas cardiovasculares;

– Aumento na quantidade de pelos, diminuição do tamanho de mamas, hipertrofia de clitóris, alteração do ciclo menstrual, engrossamento de voz, diminuição da libido e acne.

Comentários

comments