Vinícius Furlan viajou na maionese

sp x pontePelo menos acertei no Bolão.

Coloquei Ponte 2×1 São Paulo.

Vencedor e diferença do placar.

O lance mais importante do jogo foi a lambança do Vinícius Furlan. Aos 8 minutos, Matheus Reis deu um carrinho perigoso. Levou amarelo. O árbitro autorizou o reinício da partida. Os jogadores da Ponte não reiniciaram e ainda pediram revisão do cartão. Furlan voltou, olhou o atleta e mudou o cartão.

Ridículo.

O que levou Furlan a mudar de opinião? Achou “Temerária” depois mudou para “Força Excessiva”? Sangue? Isso não está na regra. Não é critério. Existem inúmeros lances que causam sangramento e nem são falta. Opinião do quarto árbitro? Aí comprova que ele não estava convicto, se não está convicto não expulsa! Alguém avisou com base nas imagens da TV? Mas qual o ângulo da câmera? Não estamos falando de impedimento que é um lance matemático. Foi lance de interpretação e o critério tem que ser do árbitro principal. Sentiu pressão do técnico da Ponte? Bom aí não vou nem considerar, Furlan, pelo menos até ontem, estava longe de ser um árbitro banana.

Enfim foi lambança pura.

Não discuto a entrada mas sim a atitude do árbitro. Já disse aqui mil vezes que a arbitragem no Brasil tem critério de futebol feminino. Quem acompanhou França x Islândia e Alemanha x Itália, viu várias entradas parecidas com a do Matheus Reis. Todas amarelo ou nem isso. Argentina x Chile na final da Copa America então…

Faz parte, continuamos com muita frescura na arbitragem brasileira.

Comentários

comments

  • 7 Comentários

    Adicionar comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *