Rogério Ceni detona o Corinthians

Foto Luiz Pires/Vipcomm

Rogerio Ceni fez história em cima do Corinthians. Marcou o centésimo gol, numa cobrança maravilhosa. Fiquei arrepiado. Nunca imaginei ver um goleiro marcar 100 gols. Com certeza nunca mais verei isso outra vez, assim como nunca mais vi alguém marcar 1.000 gols. Eu tinha 9 anos. Vi o gol do Pelé ao vivo pela televisão. Nunca mais vou esquecer da cena.

Cenas marvilhosas, históricas.

Pelé e Rogério Ceni são dois profissionais dedicados e trabalhadores, ótimos exemplos de atletas. Curiosamente, jogaram numa só equipe. Pelé jogou no Cosmos, mas isso não conta. Foi necessidade. Pelé e Ceni torcem pelos clubes que atuaram. Se tivessem registrado estas marcas por outras equipes, não teria o mesmo significado.

Andrada e Júlio César ficaram marcados na história.

Foi o melhor jogo do Paulistão até aqui. Clássico sempre vale, mesmo na fase do “Vale Nada”. Nesta fórmula ridícula, o resultado não muda nada. É verdade, mas vale pela rivalidade. E neste clássico havia um ingrediente extra. O Tricolor não vencia o Timão há 11 jogos. Venceu no sufoco. Com isso, o maior tabu continua sendo do São Paulo, com 13 jogos em 4 anos e meio.

Não foi um jogo tecnicamente fantástico, mas a vontade de vencer ou de não perder tornou o jogo fantástico.

Carpegiani surpreendeu. Colocou pela primeira vez Ilsinho, Souto e Paraíba juntos. Não entendi. Depois que encontrou o time com Casemiro, Lucas e William José, nunca mais escalou o mesmo time. Lucas estava fora, mas os outros não. O time ganhou, mas não jogou bem. Foi melhor é verdade, fez 2×0, mas passou sufoco denecessário. Mesmo jogando contra nove, perdeu várias oportunidades de matar o jogo e permitiu que o Corinthians tivesse mais posse de bola e ficasse mandando balão na área.

Rogério Ceni segurou a vitória, com bela defesa no voleio do Liedson.

Até a FIFA se rendeu ao gol 100. Veja o site.

http://pt.fifa.com/worldfootball/clubfootball/news/newsid=1407272.html

O primeiro tempo foi fraco, com muita marcação. Oportunidades, só de fora da área. O Corinthians ficou com a bola, mas não criou nada. O único chute foi do Paulinho, por cima. O São Paulo teve dificuldade de entrar na área corinthiana, chutou mais de fora e acabou marcando. Aos 40′, depois de três tentativas, Dagoberto bateu forte, com raiva e marcou. Após o gol, o jogo abriu. Aos 44′, Fernandinho perdeu uma boa oportunidade. Aos 47′, Dentinho cabeceou sózinho para fora.

No segundo tempo o jogo pegou fogo, graças as expulsões e ao gol de Rogério Ceni.

Aos 2′, Fábio Santos cruzou, Jorge Henrique desviou, Rogério fez bela defesa. Foi a primeira oportunidade do Corinthians na partida. O São Paulo respondeu. Aos 5′, Fernandinho sofreu falta na entrada da área. Ceni bateu com perfeição e marcou um golaço. O goleiro artilheiro parece que bate com a mão. Imagine se ele pudesse cobrar todas, sem preocupação de voltar para o gol. Teria feito muito mais. É absolutamente anormal a sua media de acertos. Não tenho as contas, mas só neste ano deve ter marcado 60% das cobranças. Pela media de cobranças feitas e convertidas, deve ser o melhor cobrador da história.

O Corinthians sentiu, mas continuou lutando. Mesmo sem Alessandro, expulso após falta violenta em Dagoberto, deu sufoco. Aos 22′, aproveitou a desatenção adversária, cobrou rápido a falta, Dentinho recebeu, bateu bem e diminuiu. O jogo ficou tenso. Dagoberto foi expulso. Seu primeiro amarelo foi uma invenção. O segundo foi merecido. Dentinho pediu para ser expulso várias vezes. Bateu, reclamou, apitou, Cereta não atendeu. Tentou segurar a onda. Não deu. Após chutar Rodrigo Souto, foi expulso.

Depois das três expulsões o jogo ficou espetacular. O São Paulo teve três chances claríssimas de gol. Jean fez bela jogada, bateu, Júlio César defendeu. Marlos perdeu duas. Marlos perder gol é pleonasmo. Na chance mais clara, errou passe fácil para Rivaldo. No finalzinho, Liedson teve a bola para manter o tabu. Rogério Ceni fez bela defesa. Foi mais um gol do Ceni, desta vez na meta.

O São Paulo mereceu a vitória, mas precisa melhorar. Gosto do trio Lucas, Casemiro e Willian José.

O Corinthians precisa melhorar, perdeu Bruno César, jogador que já foi artilheiro do time.

Comentários

comments

  • 189 Comentários

    Adicionar comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *