Neymar virou bebê chorão, Brasil vive a dura realidade

chile_soccer_copa_ame_amar1A Colômbia quebrou a invencibilidade de 11 jogos do Dunga.

Vitória merecida.

O Brasil foi muito bem marcado, mérito de Jose Pekerman.

Não entendo porque os brasileiros em geral, isso inclui a crônica esportiva, ficam tão abismados quando o Brasil atual joga mal e perde. Qual a surpresa? Será que pensam que esta geração é fabulosa ou que os adversários não existem?

Existe uma falsa expectativa em relação a Seleção Brasileira.

Depois do fracasso na Copa do Brasil alguns fatos  ficaram evidentes. Primeiro, não temos uma geração primorosa, pelo contrário. Neymar é a única exceção. Existem bons talentos, todos coadjuvantes. Segundo, alguns adversários são mais fortes do que imaginam, principalmente as seleções sul-americanas. Terceiro, Dunga está buscando um novo time, visando eliminatórias e 2018. Portanto, é muita incoerência esperar uma equipe bem treinada, futebol vistoso, no final da temporada e já no primeiro torneio. Não rola.

E outra. Da última vez Dunga ganhou tudo e disseram que não valia nada. Então sejamos coerentes. O corneta diz que só vale a Copa mas cobra goleada em amistoso? Não entendo tanta incoerência. Que tal analisar olhando lá na frente, avaliando a evolução desta nova geração nas eliminatórias?

Ontem a expectativa era mesmo de um jogo duro. Quem não esperava isso não acompanha futebol. Era jogo difícil. Os colombianos precisavam da vitória. Havia clima de revanche. Os dois últimos Brasil e Colômbia foram violentos. No amistoso Cuadrado foi expulso. Na Copa o covarde Zuñiga tirou Neymar. Ontem Murilo e Bacca mostraram toda sua covardia. Fernandinho pagou com a mesma moeda. Parabéns.

Portanto, a derrota não é algo surpreendente.

Dunga precisa corrigir os defeitos e rezar para que surjam novos atacantes.

As opções ofensivas do Brasil são muito limitadas, basta olhar na última Copa.

Em relação ao Neymar, todos sabem o que penso desde o primeiro jogo pelo Santos.

Comentei sua estreia no Pacaembu, na cabine da Jovem Pan. Foi um privilégio. O cara mostrou que era diferenciado. Depois de algumas partidas, falei que era “cai cai”. Aí vieram várias enquetes sobre o tema. Acompanhei até amistoso em Piracicaba onde Neymar conseguiu brigar com o goleiro adversário. Isso com a bola lá do outro lado do campo.

Passei a criticar bastante sua postura, tripudiando, menosprezando e desprezando os adversários.

Continuo achando Neymar mal resolvido e mascarado.

Lamentável.

Está colhendo os frutos.

Não por acaso, Neymar é jurado pelos adversários. Todos querem tirar uma casquinha. Garoto mimado, não sabe perder. Os adversários aproveitam e provocam. No primeiro jogo levou amarelo merecido. Chorão, provocou o árbitro até levar o cartão desnecessário. Ontem, vermelho correto. Saiu reclamando da arbitragem, como sempre.

Virou um bebê chorão.

Domingo, o Brasil luta pela vaga.

Será importante ver o desempenho do time sem Neymar.

 

 

Foto: Silvia Izquierdo / AP

Comentários

comments

  • 16 Comentários

    Adicionar comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *