Forza Verdão

Foto EFE
No Paulista, apostei minhas fichas no Palmeiras e Santos. Estavam fora da Libertadores. Poderiam colocar força total, sempre com titulares. O Verdão tem boas relações com Marco Polo, vinha iniciando um trabalho com Muricy, tricampeão brasileiro, competente em outras equipes. Tinha tudo para dar certo. Não deu. Dancei. Muricy demitido. Nas minhas previsões, não contava com a demissão. Esqueci um simples detalhe: o próprio Palmeiras. Veio Antonio Carlos. Minhas chances despencaram. Errei feio. O time ficou fora do G-4.

O Palmeiras perdeu o primeiro semestre… Surgiu Felipão.

Fiquei com o pé atrás. Luxemburgo e Muricy também não haviam resolvido. O eterno problema é fora do campo. Fiz o amistoso de Piracicaba, Murtosa no comando. Cabeça já do Felipão. Primeiro, priorizou a defesa, como a maioria dos técnicos gaúchos, com três volantes, um meia e dois atacantes. Gostei. O time já tinha os volantes: Edinho ou Pierre, Márcio Araújo e Marcos Assunção. Tinha o segundo atacante: Kleber. Eu preferia Tadeu. Estava bem no Barueri. Faltava o meia. Falavam do Valdívia, mas nada concreto.

Após a partida em Piracicaba, falei na PAN que se Valdivia viesse o time ficaria forte.

No clássico contra o Corinthians apostei duplo: Palmeiras e Empate. Deu empate, mas o Verdão foi melhor no jogo. O empate foi justo, mas a previsão estava correta. Na escala, foi um empate mais verde. No Boxe daria Verdão. Felipão demorou para ganhar a primeira. Muita gente tirou uma casquinha. Não olhei os resultados. Confiança só vem com a bola entrando. Como diz o Parreira “o gol é um detalhe”. É a pura verdade. Muitas vezes você faz tudo certo e a bola não entra. Faz parte. Calma que ela entra. Só não pode ficar meses sem entrar. Aí não vira.

Na quinta, apostei 3×0. Bingo. Será de que virou? Calma.

Foi uma bela festa. Marcos merecia. O Pacaembu estava lindo, apoiando o tempo todo, sem a turma da pipoca. Foi uma vitória contagiante. O público delirou. E cá entre nós, com todo respeito, acreditei também porque o Vitória é fraco. A força do time é o Barradão. O Vitória não fica entre os oito do Brasil, nem vigésimo na América. Na Copa do Brasil, o Santos poderia ter feito 7×0 na Vila. O Vitória chegou na final passando pelo Atlético – GO na semifinal. O nível da competição não pode ser comparado aos torneios mais importantes. É só olhar a classificação no Brasileiro, ou pesquisar onde estavam no os times no primeiro semestre, olhar os elencos, etc…

O Palmeiras é muito melhor que o Vitória. Deu a lógica.

E o Verdão vai crescer ainda mais. Pode apostar. Vamos aguardar.

Comentários

comments

  • 31 Comentários

    Adicionar comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *