Entregar ou não entregar? Eis a questão.

No ano passado, o Corinthians recebeu o Flamengo em Campinas. O time cumpriu tabela. Ronaldo saiu cedo do trabalho. Felipe nem trabalhou. No pênalti, a vaca já tinha ido para o brejo. Aquela partida ficou conhecida como “entrega” ao Flamengo. Cada um tem sua opinião. A discussão é interminável. O Corinthians não jogou com o coração, afinal não tinha obrigação de vencer. Se estivesse disputando o título, com certeza jogaria com muito mais vontade. Seria bem diferente.

Faz parte, cada um com seus problemas.

Nós jornalistas, ouvimos estórias que podem ser verdadeiras ou fantasiosas. É preciso avaliar o momento e o interesse de quem está relatando. Nos bastidores, você pode ouvir uma pessoa contando alegremente que o Corinthians entregou o jogo. Dependendo da empolgação e do grau etílico, pode até garantir a volta do Kaká ao Brasil. É preciso diferenciar bravata e realidade. É preciso avaliar o caráter do contador de estórias.

A única certeza é que aquele resultado tirou um possível título do Inter, não do São Paulo. O campeão seria o Inter. A maioria dos torcedores adora distorcer os fatos. Os anti-são paulinos adoram falar do gol impedido do Borges, mas detestam lembrar que o empate daria o título. Naquela partida o Goiás não marcou. “Se” tivesse marcado, aí sim. São estórias distorcidas. Portanto, nem o gol impedido do Borges deu o título ao São Paulo, nem o corpo mole do Corinthians tirou o título do São Paulo.

Este ano, a situação é inversa.

Neste momento, o Corinthians não depende do São Paulo, nem do Palmeiras. Portanto, se os paulistas perderem para o Flu, os corinthianos jamais poderão dizer que o resultado custou o título. Mesmo assim, caso isso aconteça, é muito provável que digam. Ninguém vai lembrar dos tropeços contra Ceará, Atlético (GO), etc…

Para a maioria dos torcedores fanáticos, é mais fácil culpar o corpo mole adversário ou a arbitragem.

Na partida Guarani x Corinthians, os corinthianos atribuem o empate aos possíveis erros do bandeira. Ora, nem o tira-teima esclareceu os lances. E a furada do Moacir? E a cabeçada do Ronaldo? Foram duas finalizações grotescas. Foram dois erros muito piores e indiscutíveis que os possíveis erros do bandeira. Nunca falam dos impedimentos que prejudicaram o Guarani. É como o pênalti do Gil no Ronaldo. Você nunca vai ouvir um cruzeirense falando que o zagueirão foi culpado pela derrota? É óbvio.

Não acredito que São Paulo ou Palmeiras entreguem. Aliás, não acredito que percam. É inegável que a motivação do Fluminense será bem maior. Os cariocas disputam o título, os paulistas pensam nas férias. Ontem, comentei o jogo do Palmeiras. Com aquele time reserva, seria natural uma vitória carioca. Já o São Paulo vai querer mostrar que não entrega jogo, como fez no Paulista. Vamos aguardar.

E você? Gostaria de ver seu time perdendo para atrapalhar o adversário?

Comentários

comments

  • 206 Comentários

    Adicionar comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *